Publicado por: iomarbatista | 12 de maio de 2011

Cuidados para se Montar um Negócio

Existem vários motivos para se constituir um negócio, dentre os quais podemos citar: Identificação de um negócio lucrativo, capacidade para implementar a atividade; necessidade de se ter uma renda, complemento dos rendimentos existentes, curiosidade, por que o vizinho abriu, por que alguém está se dando bem, por esporte, parece até brincadeira… Mas, será que apenas um destes motivos é suficiente para se lograr êxito? É preciso que se tenha a responsabilidade para se saber o que está se pretendendo montar. Muitas vezes abrir um empreendimento por causas fúteis não é uma atitude sábia, ao contrário, pode ser uma ação que gerará vários problemas no futuro.

Não obstante, quem quiser ter seu próprio negócio vai ter que refletir bastante, pois o sucesso do mesmo dependerá dos rumos que se tomar. Um dos pontos mais importante que se deve pensar é a aptidão. Ninguém pode iniciar um negócio sem antes verificar se têm habilidades para o que quer dirigir. Por isso nestas horas gosto de citar dois exemplos. Não se poder ser proprietário de uma panificadora, se há dificuldade para acordar-se as três ou quatro horas da madrugada, se isto parecer um martírio desista da idéia. Da mesma forma, não se pode seguir a profissão de mecânico, por que não gosta do cheiro de graxa, de sujar-se com óleo, entrar em baixo de carro, torcer e distorcer parafusos e porcas… Pense bem antes de decidir o que quer da vida, o seu futuro está em jogo, a melhoria de vida que tanto se busca. Pois, vivemos a todo instante realizando algo que do nosso ponto de vista poderá nos levar a um bem estar mais satisfatório.

Caso tenha convicção que já identificou as suas competências, crie produtos e/ou serviços de valor, que sejam úteis a todos. Acima de tudo se coloque no lugar de quem vai consumir o produto, lembre-se que também é consumidor, e que na qualidade de tal, é exigente, somente gosta do melhor, do mais duradouro e em muitos casos do mais em conta. O empreendedor bem sucedido pensa desta maneira, pois sabe que atendendo ao mercado terá mais propensão de levar o negócio ao sucesso. Desta maneira, conquistará e manterá os clientes satisfeitos, podendo seguir no rumo da fidelização, apontando num alvo tão mirado pelas grandes empresas. Não é a toa que quando se adquire certos bens, recebe-se um formulário para avaliação do mesmo, o que pode ser considerado como o pós-venda, na busca de tornar o consumidor fiel, o qual continuará demandando constantemente suas necessidades.

É preciso se atualizar constantemente, preparar a equipe, dar as condições para que os funcionários conheçam bem o que a empresa tem a oferecer, dominar realmente todo o processo de oferta, a ponto de deixar o cliente plenamente satisfeito. A empresa tem que ser capaz de atrair, desenvolver e manter talentos, somente assim permanecerá com um time entrosado, capaz de levar o empreendimento a obter o maior lucro logrável. Nesta etapa também tem que construir e manter relações significativas, em primeiro lugar com os clientes internos, provocando nos colaboradores um relacionamento positivo, sinérgico, focado, o que trará como fruto bons negócios. Estas relações têm que se estender aos consumidores, fornecedores, parceiros e outros. Sem dúvida nenhuma é relevante ter uma boa relação com sua rede de contato, já que se mira resultados significativos nas transações mercantis.

Um estabelecimento que almeje proventos favoráveis, precisa praticar princípios de conduta aceitos pela sociedade, tem que ser capaz de cumprir os acordos e contratos fechado. Estes são fundamentos primordiais para se alcançar credibilidade, lembrando-se que as fases de conquista não são fáceis, porém um passo errado pode levar a perca de tudo que se construiu. Saiba que a instituição de uma marca requer muitos esforços. Porém, a partir do momento que a marca começa a se consolidar e se torna conhecida, passa a ser um patrimônio da empresa, podendo obter valor monetário bastante considerado. Destarte, pense muito bem antes de montar um negócio, busque a maior quantidade de informações possíveis, inclusive visite e contate empresários que atua no segmento, pois de maneira discreta pode obter informações que podem ajudar a decidir pela implementação dos seus planos e até a identificar outras aptidões que pode ter, leia perfis da atividade e construa um plano de negócio. Desta forma, terá mais possibilidade de não fazer parte do grande número de empresas que morrem logo nos primeiros anos de funcionamento.

Na quarta edição da pesquisa Sobrevivência e Mortalidade das Micros e Pequenas Empresas Paulistas, divulgada dia 20/10/2005 pelo Sebrae-SP, mostra que em 2004 caiu de 71% para 56% a mortalidade das empresas constituídas há cinco anos. Aponta ainda para a manutenção da tendência de queda nas taxas de mortalidade para empresas com até quatro anos, mas alerta para a necessidade de providências, nos âmbitos público e privado, para a ampliação da taxa de sobrevivência. Veja neste site o artigo: Cai a mortalidade das empresas.

Autor – José Iomar Batista da Silva
Economista – Consultor do Sebrae/Ce -Pós Graduado em Gestão Consultoriae Elaboração de Projeto
Fundador do http://www.sitedoempreendedor.com.br
Blog – iomarbatista.wordpress.com
Nossos artigos podem ser publicados desde que citado o autor com os dados acima. Por gentileza nos comunique em contatos@sitedoempreendedor.com.br


Deixe uma resposta

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

Categorias

%d blogueiros gostam disto: